15 de fevereiro de 2013

Mercados: ABERTURA


Os principais índices europeus iniciaram a sessão em terreno negativo – DAX (-0,28%), AEX (-0,28%) e IBEX (-0,53%) – em antecipação à reunião do G20 em Moscovo que se prolongará até ao dia de amanhã. Na esfera sectorial realce para os ganhos do sector de Oil&Gas, com a italiana Eni a valorizar 2,66% após reportar resultados trimestrais superiores às estimativas dos analistas. No polo oposto o sector de telecomunicações é mais penalizado, com a Deutsche Telekom a recuar 1,5%, após o maior accionista da MetroPCS Communications ter anunciado que se vai opor ao negócio com a unidade T-Mobile da Deutsche Telekom. Uma nota individual para a PPR, que valoriza 5,6%, beneficiando da divulgação de resultados relativos a 2012 que superaram as estimativas dos analistas, e para a Renault, que hoje avança mais de 3,58%, prolongando os ganhos registados na última sessão.

O principal índice accionista nacional inicia a última sessão da semana em terreno negativo, recuando 0,27%, em linha com as restantes performances europeias. A dominar os ganhos da sessão encontra-se o BCP, com ganhos de 0,94%, sendo que o restante sector financeiro regista uma performance mista, com o BPI a valorizar 0,15% e o BES a manter-se inalterado face à sessão anterior, enquanto o Banif recua 2,92%, sendo esta a performance mais negativa da sessão. Também a EDP regista hoje quebras de 0,43%, após ter sido anunciada a conclusão da última de 9 operações de reprivatização da eléctrica nacional, que renderam ao estado um total de EUR 11 mil mn. Estes últimos 4,14% foram vendidos principalmente a investidores estrangeiros e totalizaram EUR 356 mn. Também a PT e a Galp recuam 0,41% e 0,34%, respectivamente, ainda que sem newsflow de relevo que o justifique, enquanto a Mota-Engil regista perdas de 0,04%, após o CEO da empresa ter anunciado a possibilidade de candidatura por parte da Mota-Engil à construção da nova linha de transporte de mercadorias de alta velocidade entre Portugal e Espanha.